quinta-feira, 11 de setembro de 2008



.:RENASCER:.


Eu sou um ser
Faminto de saber,
E numa chuva de ideias
Deixo-me molhar.
Num vulto nada mais opera
Senão, a chuva de ideias,
Pela qual me deixo encharcar.


Reage, a epiderme, ao toque
Da gota de água cristalina
Sugada pela melanina.

A pele resiste,
O coração insiste, em bombardear
Fortemente,
O fluído escarlate, antes
Impotente,
Agora capaz de purificar
Os canais poluídos
Do meu corpo.

Ergue-se o ser,
Retorna a bonança.
Faminto de saber,
Eis a aliança,
Que no vulto sem vida
Me fizera renascer.

2 comentários:

Verónica Parente disse...

Diz-nos a experiência que podemos perder algumas pessoas, coisas, objectos pelo CaRminho da vida, mas nunca, jamais podemos perder a marca com que encaramos, vivemos cada dia das nossas vidas!

São marcas que permanecem e nos envolvem... Talvez seja este RENASCER.

bj. Ana Lúcia, continua..

Rosy disse...

Assim es, um ser implacavel, intranscendente!
de um pekeno momento das tudo de ti.... algo brilha contigo em sintonia, e que exe brilho continue assim a fazer deslumbrar a mim e outros, verdadeiros sabedores do valor que tens!
beijinhos =)